sábado, 26 de fevereiro de 2011

Um soneto de Dudu Moraes

No momento em que tudo silencia
Minha alma também fica calada
E assim, quase toda madrugada
a razão do meu ser se distancia

Muitas vezes fazendo poesia
Nossa história de amor é externada
E entre amante, mulher e namorada
Classifico você como o meu dia

O meu dia por que trás essa luz
Que ilumina minha vida e que seduz
Com a força que tem quando irradia

E uma noite de amor me faz depois
Delirar com os gemidos de nós dois
NO MOMENTO EM QUE TUDO SILENCIA.

Tabira-PE

Um comentário: